Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










Será? Nós, da Realização Empreendedora, recebemos algumas mensagens intrigantes. Elas questionam um lado não observado do empreendedorismo. Sou muito curioso de maneira geral, mas em especial a tudo relacionado a empreendedorismo. E fui fazer um estudo: será mesmo que qualquer um pode abrir um negócio? Ser empreendedor?

Ou seria possível que empreendedorismo seja hereditário, seja questão de genética? Ter iniciativa de abrir um negócio seria comportamento herdado? Um traço de personalidade transmitido de gerações passadas? Se empreendedorismo vem do nascimento, não se precisa aprender nada a respeito?

Ou podemos nos tornar empreendedores? Desenvolver habilidades com experiência própria? Ou até mesmo assumir algumas condutas com a experiência de terceiros, aprendendo com um mentor a ser um empreendedores de sucesso?

Bem… fiquei surpreso, pois essa discussão é cada vez mais comum. E, nesta mensagem, você vai poder se livrar dessa polêmica do Mito do Empreendedor.

Empreendedorismo É Questão Genética…

E vou começar já desfazendo a polêmica: sim… a genética ajuda e muito nas características empreendedoras. Levantei nos meus estudos que 60% da personalidade – ou seja, do comportamento – fazem parte da genética, são herdados dos antepassados.

Há pesquisas feitas com irmãos gêmeos, alguns criados juntos e outros criados separados. O que se notou nessas pesquisas é que a similaridade no comportamento é espantosa por causa da genética.

Esse fenômeno pode ser mais bem percebido em artistas. Há alguns que jamais estudaram arte e acabam desenvolvendo técnicas e aplicando-as na carreira a contento. Fazem grande sucesso em seu meio profissional. Não foram a uma aula sequer, mas desenvolveram competências incríveis.

Por minha experiência, reconheço que esse fenômeno é pouco notado na área de empreendedorismo. Percebi em meus estudos também que apenas 2% das pessoas são realmente empreendedores natos. Elas nascem empreendedores.

Por esse ponto de vista, eu pergunto: e os outros 98% de pessoas que não nasceram empreendedoras?

Vamos primeiro compreender um pouco mais sobre o conceito empreendedorismo.

Empreendedorismo: Comportamento e Ferramentas

Costumo encarar empreendedorismo sob duas óticas: comportamental e ferramental.

Michael Gerber, no livro O Mito Empreendedor, mostra que todos temos três personalidades profissionalmente falando:

  1. Personalidade de Técnica – somos bons em elaborar algo fisicamente, ficar em um cantinho qualquer e colocar a mão na massa, agir, construir
  2. Personalidade de Gerente – gostamos de planejar, de deixar e ver tudo organizado, de olhar o presente
  3. Personalidade de Empreendedor, propriamente dita. Olhamos para o futuro, temos ideias e queremos sair executando

Tais personalidades se mostram em níveis diferentes. Você pode ser muito mais técnico e gostar muito mais de atuar, de agir, mas também de ter ideias e não dispor de nada do lado gerente: não planeja muito a coisa em si. Ainda assim, tem uma pequena parte de cada uma dessas características.

Note o seguinte: você precisa trabalhar para equilibrar essas características. Como? Eu digo:

  • O início de um empreendimento requer que você foque mais na personalidade técnica a fim de colocar a mão na massa e validar, testar e tirar a empresa do papel;
  • Quanto mais a empresa for se desenvolvendo, mais precisa avançar para a personalidade de gerente para…
  • … finalmente, focar na personalidade empreendedora, que é a da visão. Assim, vai tocar a empresa, olhá-la como um todo

Então, essa é a ótica comportamental. Você trabalha seu comportamento para se ver, se mostrar, agir e se desenvolver como empreendedor.

Quanto à ótica ferramental, trata-se de estratégias e metodologias que ajudam a tirar a ideia do papel, validá-la no mercado e implementar uma empresa. Dizemos que são ferramentas administrativas. São elementos mais exatos que oferecem o passo a passo, possibilitam planejar e executar as coisas.

Ou seja, com elas, você não precisa da intuição, não precisa de um dom, pois a coisa nada tem a ver com sexto sentido. Basta alimentar as ferramentas para obter meios para executar as tarefas mais físicas do dia a dia.

É isso. Tendo isso em mente, você vai descobrir como…

Criar um Negócio de Impacto com a Academia de Novos Negócios

Aliás, esse é o tema do próximo vídeo. Eu vou falar sobre os sete passos necessários para se criar um negócio de impacto. Esse novo vídeo vai ajudar pessoas que acham que não nasceram empreendedores e sabem que precisam de uma direção a seguir.

Quais os passos exatos que devem ser dados para você iniciar uma empresa inovadora? Vamos estudar isso no próximo vídeo. Um assunto muito legal.

E resumindo a coisa toda para você passar a se ver como empreendedor, eu respondo à questão se você nasce empreendedor ou se você pode se tornar empreendedor:

– Você pode, sim, se tornar um empreendedor.

É minha resposta. Mas isso requer decisão interna, decisão muito forte para transformar sua vida como um todo, transformar no estilo de vida empreendedor mesmo.

Por experiência, eu alerto: para você realmente ter sucesso na vida empreendedora, precisa mergulhar de cabeça. É difícil, não é simples. Não é à toa que há muita gente que tenta e quebra a cara.

Mas, também por experiência, garanto que você consegue, sim, se tornar empreendedor, seguir metodologias que o orientem para isso e pessoas que o acompanhem nessa etapa inicial até deslanchar a carreira.

Um dos primeiros passos para criar um negócio de impacto, uma empresa inovadora, e ainda faturar enquanto está validando sua ideia, é conhecer mais sobre o curso Academia de Novos Negócios. Você vai perceber que é verdadeira escola de empreendedorismo na prática.