Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










Você sempre sonhou em empreender, está prestes a abrir seu negócio mas não está em condições (de tempo, conhecimento ou humor) de elaborar um plano de negócios tradicional, que acabará esquecido em alguma gaveta?

Se você não sabe exatamente o que planejar e está quase começando sem fazer nenhuma análise, no vídeo abaixo vou te mostrar, de forma simples e prática, três pontos fundamentais que devem ser considerados antes de abrir sua empresa

Por mais que você não queira passar por todo o processo de planejamento, por mais básico que seja – como fazer um business model canvas para modelar seu negócio ou um design thinking para mapear seus clientes e suas necessidades – é essencial que você reflita sobre estes itens em sua ideia de negócio:

1- QUAL VALOR VOCÊ ENTREGA?

Valor é o principal benefício percebido pelos seus clientes e é melhor descrito ao se responder esta importante pergunta: qual o problema seu negócio irá solucionar?

A maioria das pessoas começam um negócio com a ideia do produto final em mente, pensando que idealizaram um produto que será um sucesso, com todas as suas características físicas já definidas; ou um serviço milagroso, com suas atividades já mapeadas e que supostamente solucionará todos os problemas do cliente.

É importante ter a noção do que se quer entregar, mas não é necessário definir de antemão como essas soluções serão quando já estiverem em sua versão final.

A melhor forma de se criar um negócio é pensando primeiro no problema que será solucionado. Com um problema bem definido, você então tem a oportunidade de propor a criação de diferentes produtos, serviços ou uma combinação de ambos para resolvê-lo.

Desta forma é possível conceber um produto muito mais coeso e com sua proposta de valor mais explícita aos clientes, ao invés de simplesmente empreender uma ideia de produto ou serviço que você supõe que será um sucesso. A maioria das empresas que começa desta forma acabam descobrindo que não era bem assim.

Comece sempre definindo qual será sua proposta de valor, que é o benefício obtido através da solução de um problema vivenciado por seus clientes.

2- QUEM É SEU CLIENTE?

Agora que já definiu sua proposta de valor, é hora de dissecar as características das pessoas que possuem estes problemas.

Para definir seus clientes, você deve analisá-los de duas formas diferentes: pelas questões demográficas e psicográficas.

  • Demográficas: referem-se, principalmente, às definições de idade, sexo e localização. Na prática, seu produto até pode ser utilizado por pessoas de 15 a 70 anos, e por homens e mulheres em todos os cantos do país; entretanto, identifique onde está a maior concentração de pessoas que possuem o problema que você soluciona ou, melhor ainda, quem realmente irá pagar pela solução.
    Defina qual a melhor faixa etária, região, Estado ou cidade que mais se beneficiaria com sua solução.
    Esta definição não exclui ou “proíbe” que outras pessoas adquiram seus produtos ou serviços, mas agrega muito mais foco, eficiência e conversão da sua proposta de valor para o público certo.
    .
  • Psicográficas: referem-se às questões comportamentais, psicológicas e de estilo de vida. Definindo quais comportamentos as pessoas adotam em seu cotidiano, como: hobbies, esportes praticados, sedentarismo, tendências artísticas ou analíticas de pensar as coisas, locais que frequentam, vida profissional, introvertidas ou extrovertidas, bem ou mal humoradas, etc.
    Não é uma análise tão óbvia e simples de ser realizada mas entrevistar pessoas que representam seus potenciais clientes, facilitará o processo.
    O resultado será um ótimo direcionamento da sua oferta e chances elevadas de aceitação do seu produto ou serviço.

3- COMO ENTREGARÁ O VALOR AO CLIENTE?

Finalmente, deve-se pensar como criar, oferecer e entregar a solução proposta para os clientes mapeados.

Após conhecer seu potencial cliente, torna-se mais fácil definir quais as melhores formas e ferramentas para fazer com que eles saibam que sua solução existe e lhes fazer uma oferta, que são suas estratégias e canais de comunicação.

Consequentemente, deverá ser pensado como seu produto ou serviço será entregue. Quais serão os canais de distribuição? Serão canais físicos próprios, terceirizados ou digitais? Como será o “fluxograma” desde a compra até a entrega?

Para criar, comunicar e entregar sua solução, quais serão os recursos necessários, desde maquinário, espaço físico, treinamentos, pessoas com determinada expertise, softwares, etc..

Caso queira deixar seu planejamento mais avançado, poderá identificar potenciais parceiros que possam suprir um ou mais recursos necessários, em troca de algum serviço, contato, ajudas extras, pagamentos ou negociação criativa que forneça benefícios mútuos e contribua com a viabilidade da criação e entrega dos seus produtos ou serviços.

.

No mundo inteiro, mais de 90% das empresas não completam os 5 anos de vida; portanto, fazendo o mínimo necessário antes de começar, é possível ter um começo mais saudável e à frente de muitos dos que começam seus negócios sem o mínimo de planejamento.

O ideal seria fazer uma lição de casa mais completa, mas tenha certeza de executar pelo menos estes 3 itens de planejamento antes de gastar tempo e dinheiro criando seus produtos e serviços.

O próximo passo será validar sua ideia de negócio, tema do próximo vídeo!