Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










Olá! Vou começar hoje com uma parabolazinha interessante para depois a gente bater um papinho sobre plano de negócio.

Era uma vez um ilhéu com muitas ideias na cabeça. Eram tantas que nem sequer cabiam na ilha e, por isso, queria sair de seu vilarejo e conhecer o mundo. O problema é que a ponte que ligava a ilha em que morava ao continente tinha caído havia muitos anos. Então, preparou um plano de fuga.

Analisou a distância entre o que antes eram as extremidades da ponte em relação à potência de seu carro, calculou a altura de impulsão necessária, a inclinação, a velocidade média do vento, a velocidade que deveria alcançar, o peso do carro com bagagem e até os efeitos do impacto do carro no solo: o que aconteceria depois, o que poderia fazer caso estourasse um pneu ou entortasse uma suspensão. Ainda, qual seria a distância e tempo que levaria para chegar à primeira cidade etc.

E então ser feliz para sempre.

Observando atentamente a disposição do ilhéu, eu pergunto a você: é isso que você faria?

Quando você decide abrir uma empresa, as pessoas dizem para criar um plano de negócio. Bem… eu vou deixar aqui outra pergunta que tem a ver com a primeira: você arriscaria sua vida nas informações que colocou naquele documento?

Nesta mensagem, você vai descobrir por que não criar um plano de negócios ao abrir uma empresa e ainda como atravessar aquele espaço que ficou no lugar da ponte da forma mais segura, a ponte que liga seus sonhos a sua realidade.

Olá! Você já sabe quem somos: uma plataforma para auxiliar você a criar e a fazer crescer os seus negócios.

O Tal Plano de Negócio

Este tema, plano de negócio, tem sido muito discutido ultimamente quando se fala em empreendedorismo. Então, me senti na gostosa obrigação de gravar esta mensagem.

O principal ponto no qual me baseio para garantir que um plano de negócio não é ideal ao iniciar um negócio é que esse documento nunca retrata sua ideia real, pois não é baseado em informações conseguidas na validação e teste do seu negócio.

Atenção. Isso é importante: o plano de negócio não é baseado na realidade de seu negócio simplesmente porque seu negócio ainda não é realidade. É ou não é?

Você acaba pesquisando dados, informações, cursos, opiniões de pessoas na internet, em livros, em documentos, em revistas, mas elas não refletem a prática do dia a dia do seu negócio. Isso é extremamente crítico.

Um dos problemas é que, ao criar um plano de negócio, você gasta muito tempo e energia para elaborar e formatar esse documento. Ao fim desse trabalho, ele faz pressupor que você vai pegar o montante financeiro para investir naquela ideia planejada para lá para a frente, na versão pronta

Com isso, muitas pessoas quebram financeiramente, pois acabam comprometendo todas as finanças pessoais e às vezes da família inteira. Então, vamos ver:

  • Você segue as instruções para criar um negócio
  • No fim, ele prevê que você teria de investir R$100.000
  • Você vai lá e faz o diabo para conseguir o valor
  • Arranja um lugar
  • Monta empresa
  • Coloca no mercado

Depois de tudo isso, descobre que nada do que planejou estava naquele maldito o documento.

Os Grandes Gargalos dos Planos de Negócio: Irrealidades e Medos

Vejo por aí inúmeras estatísticas que induzem à ideia de que negócios quebram por falta de planejamento. Mas a gente precisa rever essa ideia: é verdade que a maioria das falhas nos negócios se dá por falta de planejamento, mas falham no planejamento por falta de conhecimento aplicável.

– “Mas, meu grande amigo Cassiano, o que quer dizer isso?”

Isso quer dizer que eles, os planos, faltaram com dados reais, falharam ao simular fatos associados irreais à ideia, ao que iria acontecer realmente na empresa. E isso não é conseguido no plano de negócio, mas no planejamento de ação, no plano de ação para testar esse negócio, testar essa ideia de negócios na prática antes de levar ao mercado.

Muitas pessoas até que gostam de criar plano de negócios, mas não percebem que isso é uma espécie de autoproteção em relação a seus próprios medos, têm intenção de esconder os seus medos.

Medo de falhar, por exemplo. Enquanto estão ali, escrevendo o documento, tudo está lindo, perfeito, não há qualquer falha, está saindo tudo certinho, o empreendedor não cometeu nenhum erro.

Nem poderia cometer, pois ainda não deu o primeiro passo.

Já outros empreendedores ficam escrevendo e coletando detalhes porque têm medo de vender. Enquanto estão ali, escrevendo no computador, digitando tecla a tecla, não precisam encarar as pessoas, não precisam ir atrás de seus clientes. Assim, não correm risco de ouvir um “não… não quero seu produto”.

Então, é melhor ficar escrevendo… escrevendo… escrevendo…

No cinema, “Os Intocáveis”; No Empreendedorismo, “Os Incriticáveis”

E ainda há um terceiro tipo de empreendedor: os que não gostam de receber críticas. Vai que acontece alguma falha e as pessoas vão pensar algo de errado. Esses empreendedores não querem ouvir críticas a um baita plano de negócios.

Afinal, tudo tá lindoé um baita de um livreto… aquilo ali não tem como ser criticado. E pensam assim: “se eu coloco em ação e cometo algum erro, se acontece alguma coisa, o que é que as pessoas vão pensar de mim?”.

Ou seja: medo de entrar em ação, medo de toda aquela incerteza que é começar um negócio.

Reconheço que há muitos que conseguem gerenciar esse medo, mas saiba você, meu caro empreendedor, que toda essa incerteza é o que cerca o empreendedorismo, é o cerne do empreendedor, é o que faz muitas pessoas se entusiasmarem para descobrir o novo e descobrir como fazer aquilo dar certo.

É algo que você também pode aprender caso você queira sair das teorias e do ato de só escrever… escrever… escrever, começar a planejar e realmente ter seu negócio criado, aberto no mundo real, na prática.

O que eu quero dizer é o seguinte: não é que você não deva planejar. Você deve fazer um planejamento, mas planejamento voltado à ação e não a situações hipotéticas. Sou formado em Engenharia. Então, tenho muito do pensamento “passo a passo”, com métodos e ferramentas aplicáveis.

Tenho percebido que é com essa mentalidade que os negócios surgem, que são bem-sucedidos na prática.

Muitas pessoas que ouvem isso pensam: “então, não tem que fazer um plano de negócio… posso entrar de cara, pois é errando que se aprende”. Não, não é isso.

É você usar as ferramentas que levam rápido à ação para que aprenda com seus próprios dados, levam a levantar seus próprios dados e executar seu negócio de forma planejada e mais ágil.

– “Então, o plano de negócios não é útil, Cassiano?

O plano de negócios é útil, sim, mas muito mais para empresas que já estão abertas e têm outro objetivo, como arranjar um financiamento para maquinários, um financiamento para crescimento ou encontrar um sócio capitalista.

Nesse caso, a empresa vai criar um plano de negócio com dados reais de seu histórico, dados já existentes, que vão servir para ação estratégica. Entretanto, ao tirar uma ideia do papel, plano de negócio não é eficiente em função do nível de mercado com o qual a gente convive hoje em dia, em função da velocidade com que as coisas mudam.

A Palavra É…

E respondam rápido…valendo futuros e prosperidades… 05 segundos para responderem…atenção, senhores empreendedores: qual é a palavra?

Uma palavrinha que você tem de aprender para substituir o plano de negócio é… validar.

Validar um negócio leva os mesmos tempo e esforço que criar um plano de negócio; por outro lado, validar já coloca você em ação. E empreendedorismo é ação; ação é fundamental para você criar seu negócio.

Mais cedo ou mais tarde, você vai perceber que seu negócio é diferente daqueles concorrentes que você pesquisou na internet, nos quais se baseou para idealizar seu plano de negócio. E as informações fundamentais para funcionamento, criação e crescimento do seu negócio vêm do seu mercado, dos seus clientes, da interação que você faz com eles.

E isso não acontece no momento de criar um negócio, mas quando você está testando o seu negócio na prática. É nesse momento que você é alimentado com essas informações.

E há uma maneira de você compreender tudo isso de forma certeira e prática. Na Academia de Novos Negócios e no Curso para Empreendedores da Realização Empreendedora, você vai fazer exatamente isso: validar seu negócio na prática, passo a passo, bem sequencial e com a mão na massa.

Com nossa metodologia extremamente clara, você vai ter meu acompanhamento numa comunidade inteira de outros empreendedores iguais a você. Nós utilizamos ferramentas modernas que substituem o plano de negócio. Assim, você vai validar seu negócio e criar, abrir uma empresa lucrativa e inovadora na prática.

Vejo você na próxima mensagem. Forte abraço e sucesso!