Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










O artigo de hoje é a 10ª e penúltima parte da Série Especial Os 10 Comportamentos Empreendedores aqui do Realização Empreendedora, onde falo sobre a persistência, um dos comportamentos responsáveis pela descomunal força motriz de todos os empreendedores que alcançam o sucesso.

Falar de persistência pode parecer uma tarefa inglória, já que muitos de nós, envolvidos com o mercado empresarial e corporativo, temos a tendência de acreditar que os grandes sucessos são frutos de ideias incríveis e resultado de acertos que abalam as estruturas do mercado – e até pode ser assim, em algumas poucas situações – mas as pesquisas e os especialistas apontam que o sucesso profissional é marcado pela persistência, ou seja, pela força de vontade em seguir adiante, mesmo quando os resultados fogem do esperado.

Todos os casos de sucesso que são utilizados em grandes palestras, workshops e treinamentos que participamos tendem a focar exatamente na desconstrução dessa ideia, já que os maiores exemplos do mercado corporativo, como Steve Jobs (Fundador e Ex-CEO da Apple), Bill Gates (Fundador e Ex-CEO da Microsoft), Jeff Bezos (Fundador e CEO da Amazon), Howard Schultz (Fundador da Starbucks), dentre tantos outros nomes fortes do mercado, são marcados pela persistência na busca pelo sucesso.

Todos os citados, e também outros grandes nomes do empreendedorismo mundial, são exemplos de que nem sempre os resultados são obtidos de primeira pois, no caso de alguns dos mais importantes de nossa lista, o sucesso só chegou depois de muitos erros, frustrações e tentativas, o que nos mostra que não é o acerto de primeira que marca a carreira e o sucesso de um empreendedor, mas sim sua habilidade de lidar com os erros e fazer com que eles sirvam para nos dar base para acertos ainda maiores.

Pesquisas recentes comprovam que grande parte das novas empresas acabam por fechar em menos de cinco anos, não pela falta de qualidade, de investimentos ou de retorno do público, mas sim pela inexistência da capacidade de seguir adiante quando os acertos são menores que os erros, sendo sinal claro da falta de persistência de alguns dos empreendedores de nossa época.

Otimismo – O principal Pilar da Persistência

Dizem que o mercado empresarial não tem espaço para o otimismo, já que este meio é feito de números e números não tem sentimentos, mas a grande verdade – e que é fruto de muitos erros e acertos ao longo dos anos – é que o otimismo é essencial para saber lidar com os erros cometidos, fazê-los servir como aprendizado e também para acreditar que o fracasso seja apenas mais um passo rumo ao sucesso, não deixando que isso nos abale como empreendedores.

Uma empresa pode passar por diversos momentos de dificuldade, frustração ou mesmo de fracasso econômico, financeiro ou de público, como dificuldades financeiras, falta de clientes, reflexos de crises externas e internas, sendo que o principal fator responsável por guiar o empreendedor durante a tempestade, é o otimismo de que aquilo será superado, sendo esse o primeiro passo para que a persistência venha à tona.

Persistir significa ter em mente que todos os problemas são resultados de atos, condutas e escolhas, mas que isso não significa que são permanentes ou imutáveis, sendo essencial que o empreendedor saiba aprender com seus erros, tendo em mente quais são seus pontos fortes e quais são as habilidades que precisam ser melhoradas para tornar-se um profissional ainda mais eficiente e bem-sucedido.

O segredo do sucesso não está na crença de acreditar que não se deve errar, mas sim ter persistência em seguir adiante, humildade para aprender com os erros e fazer deles aprendizado para acertos futuros. A persistência não é – e não deve ser – a negação dos erros do passado, mas sim a maneira correta de aceitá-los e fazer deles base para seu sucesso.

Construindo A Persistência – 3 Técnicas Fundamentais

Realização Empreendedora Persistência

Algumas técnicas e fatores permitem que você se torne à prova de desistência, ou seja, que você esteja preparado para os reveses do mundo empreendedor, tenha consciência de suas habilidades, dos seus pontos fortes e confiança em seu faro e em seu projeto. Listamos três técnicas importantes para que você possa melhorar seu instinto empreendedor e faze-lo ainda mais persistente e eficiente. Confira:

  • Seja realista: Um dos fatores que quebra o espírito de persistência é se ater a projetos, ideias, calendários e metas que estão fora de sua realidade. Construa metas grandes, mas saiba criar passos pequenos a serem dados, para que a falha em um deles não abale seu projeto como um todo.
  • Agregue conhecimento: Contar com pessoas que agregam conhecimento ao seu projeto é positivo e essencial para continuar após um erro, problema ou insucesso. Procure por pessoas de potencial – e não se sinta inseguro por isso, já que todas as grandes empresas contam com grandes pessoas.
  • Aprenda sempre: Outro ensinamento fundamental para os que desejam crescer como empreendedores e fortalecer seus projetos mesmo depois dos problemas aparecerem é o aprendizado constante. O ditado de Esopo que diz “Ninguém é tão grande que não possa aprender, nem tão pequeno que não possa ensinar”, traduz o espírito necessário ao empreendedor persistente.

Exercitando Seu Comportamento Persistente
Realização Empreendedora Persistência

Lidando com a falta de persistência: apesar de parecer uma tarefa muito difícil, lidar com a falta de persistência pode ser mais simples do que parece, já que o passo essencial para alterar o pensamento limitante já foi dado – você buscou conhecimento e aprendeu mais sobre a necessidade da persistência – sendo agora o melhor momento para avaliar como você pode melhorar ainda mais.

Analise aquilo que limita sua crença de sucesso, quais são os elementos que lhe fazem se sentir limitado, restringindo seu sucesso e fazendo com que você desista, buscando entender quais são as fontes desses pensamentos, extirpando-os de sua mente e de sua rotina.

Excesso de persistência é teimosia: Como todo comportamento racional, a persistência em excesso também pode ser danosa, já que existe uma diferença forte entre persistir em algo e continuar errando no mesmo.

Avaliar se os problemas e limitações são causadas por escolhas e fatores externos ou pela inépcia do projeto ou do plano de ação são essenciais para saber quando se deve persistir e quando é hora de encontrar outros meios para atingir seus objetivos.

Persistência é essencial – Na medida certa: Enquanto a pessoa teimosa insiste pelo simples ato de não abrir mão de seus conceitos, o persistente sabe que suas metas só serão atingidas por meio do crescimento após cada erro, dificuldade ou insucesso.

Persistir não é fazer a mesma coisa, da mesma maneira, mil vezes, esperando resultados diferentes, mas sim fazer mil coisas, de maneiras diferentes, até atingir o resultado que se deseja.

“Fácil é sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho.”
– Carlos Drummond de Andrade

No próximo e último artigo da série, conheceremos o comportamento extra, vencedor da votação realizada pelos leitores do Realização Empreendedora!