Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










Você sabe o que é, como funciona e para que serve um modelo de negócios? Conheça mais sobre o assunto.

“Modelo de Negócios”! Alguns escutam este termo e acham que é a peça chave por trás dos grandes negócios. Outros torcem o nariz e viram a cara achando que é mais uma besteira inventada para encher linguiça das empresas.

E você? Realmente sabe o que é um Modelo de negócios? O que ele faz? Quando usar? Quais seus tipos e tudo mais?

Se quiser aprender na prática como modelar seu negócio para realmente obter um diferencial e sucesso no mercado, leia o artigo – no final, pode haver algo que te ajude nesta nobre missão!

Em resumo, um modelo de negócios descreve os três principais pilares de como uma empresa cria valor, como ela entrega valor e como ela capta valor do mercado.

Mas antes de mais nada, o que é “valor”?

O valor não é só dinheiro. São todas aquelas características e funcionalidades onde os usuários e até a própria empresa identifica como benefícios e ganhos em relação às necessidades e problemas que elas têm.

Seja através de novas funcionalidades, seja através de parcerias, de reconhecimento de marca ou um bônus a mais que faça com que a pessoa seja totalmente assistida na utilização do produto ou serviço.

Enfim, valor é uma palavra muito aberta e não se restringe a moeda, a como você vende e é pago. Para que entenda melhor, vamos descrever os três pilares para que fique mais claro:

  1. Criar valor: É tudo aquilo que a empresa faz através das suas atividades chave, com os seus recursos e parcerias, para fabricar o produto fisicamente ou elaborar o serviço. Além de todos aqueles complementos e benefícios, para que melhorem a experiência dos usuários e que entreguem muito a mais do que ele estava buscando ou precisando, para que tenha uma maior entrega e percepção de valor.
  2. Entregar valor: É como você leva a sua proposta de valor a um mercados, seus consumidores, as suas personas, através de formatos de relacionamentos e canais de venda. Não é simplesmente você pegar o seu produto e entregar na casa do cliente ou mandar que ele faça o download no seu site, mas sim toda a entrega daquele algo a mais. Tanto do seu produto físico, quanto os benefícios, para que ele tenha a sensação de realmente ser atendido plenamente pelo seu negócio.
  3. Captar valor: Não somente através das fontes de receitas, que é onde você capta o faturamento da empresa, que sim, é muito importante. Mas na modelagem de negócios você consegue ir além e também prever como seu negócio vai captar outras formas que é de muito valor para ele, como impacto social, reconhecimento de marca, parcerias estratégicas. Tudo isso fomenta o desenvolvimento, escala e perpetuidade da sua empresa no mercado, da sua evolução e constante inovação.

Há diversos tipos de modelos de negócios em que descreve o padrão, como a sua empresa atua nesses três pilares. Geralmente, eles descrevem melhor aqueles modelos de negócios que oferecem um diferencial, uma inovação, tanto de produto, quanto de modelo, quanto de serviços, o que já foi falado no artigo “o que é uma startup“.

Modelos de negócios:

  • Premium / Grátis Primeiro / Isca e Anzol

É muito utilizado e difundido no meio de negócios digitais, onde você primeiro oferece algo gratuito, que ainda ofereça bom valor para a pessoa. E quando ela usufrui daquele seu produto grátis, você faz uma oferta para que ela consuma ou adquira o seu produto de maior valor.

Na internet isso é muito difundido através de books, infográficos, de outros produtos que você pode oferecer uma amostra grátis e depois a pessoa é ofertada com um produto de maior valor, como negócios offline podem usufruir disso, desde escritórios de arquitetura ou dentistas, por exemplo, que podem oferecer uma limpeza grátis e quando o cliente está recebendo o serviço, oferece todos os outros serviços que complementem para o deixar com um sorriso melhor.

  • Assinatura / SaaS

É pago uma mensalidade, trimestralidade ou uma anuidade, para receber aquele produto especificado. Isso foi muito difundido por jornais e revistas. Há inúmeros negócios offline que funcionam assim, os negócios online também funcionam muito bem através de assinaturas que foi evoluido para o modelo SaaS.

O SaaS, Software as a Service ou Software como um Serviço, onde você não compra mais um software, você assina um e recebe o nível de software ou serviço, com vários níveis de upgrade.

  • Plataforma / Ecommerce

É um modelo muito famoso que foi evoluido do modelo chamado de Market Place. Basicamente é onde você intermedia, principalmente, duas personas, podem ser três ou quatro, não tem como intermediar muito mais do que isso. Você coleta fornecedores de produtos ou serviços, acopla na sua plataforma e do outro lado, atrai usuários para comprar esses produtos ou serviços. 

Então o seu trabalho é desenvolver essa plataforma, fazer a curadoria de todos esses fornecedores e atrair todo um marketing, para atrair essas pessoas. E você ganha na transação desses serviços. 

Nos modelos offline os shoppings centers são as plataformas mais difundidas e evoluídas do mercado. A plataforma deles é todo o espaço e o branding, eles fazem toda a curadoria dos lojistas e de onde eles estão alocados nas áreas internas do shopping e também tem que atrair todos os clientes para que vão localmente, fisicamente até as lojas e consumam. E eles ganham no aluguel e nas transações.

E os sites como a Amazon, Mercado Livre, são muito famosos, porque eles fazem toda aquela curadoria de fornecedores que podem ir lá e anunciar seus produtos e serviços na plataforma deles e atraem todo aquele mar de pessoas que vão lá consumir e ganham na transação. É preciso ter um trabalho muito bom para manter uma plataforma de muito fácil usabilidade para os clientes.

Há também uma ramificação desse modelo, que são os aplicativos de transporte, de freelancers, por exemplo, como o get ninjas ou a uber, em que de um lado você intermedia motoristas ou outros fornecedores, do outro lado tem que atrair todos os usuários.

  • Freemium

Não pode ser confundido com o modelo grátis, porque no freemium, você oferece o seu serviço e produto praticamente por completo, não apenas uma amostra grátis, mas tem toda uma funcionalidade, porque ele pode usar indefinidamente num nível gratuito. E a partir de um certo nível de produto, você passa a cobrar por ele.

Então, se a pessoa quer ir mais a fundo para solucionar problemas maiores, com outras necessidades, ela paga por seus produtos maiores. Há uma infinidade de empresas na internet que usam esse serviço, você provavelmente está inscrito em diversas plataformas em que consegue usar gratuitamente, mas para algumas necessidades a mais tem que começar a pagar e esse também é um modelo muito bom para você atrair muitos usuários e ter um bom potencial de monetização a longo prazo. 

Porque aos poucos você vai estudando e entendendo quais outros recursos você pode implementar, recursos pagos, potenciais de ganhos em diversos níveis de preços.

  • Valor agregado / Cauda Longa

Muitas vezes a empresa compra e revende algum tipo de produto ou serviço, mas acoplado a ele, ela agrega serviços complementares ou até remanufaturam aquele produto para atender um nicho com necessidades muito mais específicas.

Então você tem todo o trabalho de desenvolver um bom reconhecimento de marca, para trabalhar muito bem no perfil da persona para que você consiga ter um bom impacto, um bom faturamento nesse modelo, já que seus produtos têm uma margem maior. Muitas vezes se fatura muito mais, porque você é reconhecido como um dos únicos que fazem muito bem aquela tarefa.

  • Publicidade / Games

Seu negócio cria um ambiente que atrai muitos usuários, praticamente todos gratuitos, todo mundo está lá dentro dele consumindo e você disponibiliza para anunciantes irem lá fazer a publicidade de seus negócios e de seus clientes. 

Nos primórdios da internet, a única forma de monetizar seus sites e blogs, era criando conteúdos e colocando anúncios, Google adsenses, o que virava algo bem poluído.

Uma evolução desse modelo publicidade foi feito pelos games, porque você disponibiliza um jogo e lá dentro você tem vários anúncios. Isso também é muito feito pelos aplicativos gratuitos que monetizam através de muita propaganda dentro deles. 

Você tem que criar algo que realmente entregue valor, para atrair muitas pessoas, porque a taxa de conversão de publicidade é muito pequena. Então quanto mais pessoas você tem dentro desse seu ambiente, maior a sua taxa de conversão de faturamentos. Se seu produto não tem um grande diferencial, sua margem vai ser muito pequena. Ele é muitas vezes utilizado como um complemento a outros modelos de negócios, não o modelo principal.

Há incontáveis modelos de negócios, a maioria é uma variação dos outros, mas basicamente, um modelo de negócios descreve como o seu negócio interage nesses três principais pilares. Se você está começando um negócio, foque em como ele está criando valor, como ele está entregando e captando valor. 

E também, busque referências de outros modelos dentro da sua área de atuação, do seu nicho de empresas que possuem praticamente a mesma proposta para você se inspirar e adaptar o seu modelo e negócios.

Quando fazer fazer um modelo de negócios? 

Muitas pessoas ficam com essa dúvida de quando fazer um modelo de negócios. Se você já tem uma empresa rodando e você não fez a sua modelagem de negócios, muita gente acha que é besteira voltar atrás e desenhar o seu modelo de negócios, porque ele já está acontecendo e já está tudo ali muito claro.

Porém quando elas tentam criar novos produtos, arranjar novas parcerias, ficam patinando, o negócio não engrena no mercado. Acham que é problema do marketing, mas muitas vezes é porque não têm a clareza do modelo de negócios.

Então, mesmo se já tem um negócio rodando, volte atrás, faça a sua modelagem de negócios, porque ele é realmente muito poderoso para você alavancar e gerir melhor o seu negócio e o crescimento dele a longo prazo. 

Se você está iniciando um negócio, ele é sim a peça chave para descrever como esse negócio vai funcionar no mercado. Portando se está começando, senta, analisa esses três grandes pilares, como o seu negócio vai criar, entregar e captar valor.

Ele não é escrito a ferro e fogo, ele vai ser construído e ajustado constantemente, conforme o seu negócio vai sendo validado no mercado, mas você já tem uma ideia muito clara, uma ferramenta de como o seu negócio irá funcionar.

Modelo de Negócios x Plano de Negócios

E muitas pessoas também têm a dúvida se o modelo de negócios substitui o plano de negócios. A resposta é sim e não. Isso porque se você está construindo e iniciando um negócio agora, não faça um plano de negócios. 

Ele é um documento escrito em capítulos que você vai perder bastante tempo pesquisando e caçando dados do mercado, de outras empresas, como eles fizeram, parte operacional, estratégia de marketing, cenários econômicos, entre outros.

E o modelo de negócios vai descrever o seu negócio, com as suas premissas, como você vai tratar o seu segmento de clientes, como você vai se relacionar, as suas atividades e recursos chaves, as suas parcerias, enfim, ele é baseado nos seus dados e muito mais poderoso quando você está inciando um negócio.

O plano de negócios, ele é sim muito importante, quando a empresa já está em outro patamar, quando ela já está validada no mercado e tem uma finalidade para ele. Você quer um parceiro estratégico de divulgação, de canais de vendas, um investidor e vai elaborar um plano de negócios específico para essa necessidade, não é aquele padrão que se encontra ainda hoje. 

Então o plano de negócios é um complemento ao modelo de negócios. Enquanto o plano de negócios descreve um momento específico do seu negócio, o modelo de negócios é mutável, ele vai evoluindo e se modificando ao longo do tempo.

Canvas do Modelo de Negócios / Business Model Canvas

Agora, você deve estar esperando que eu fale sobre o Canvas do modelo de negócios e o porquê não foi citado desde o começo. Simplesmente porque ele é apenas uma forma de você descrever o seu modelo de negócios.

Antigamente, os modelos de negócios eram descritos da mesma forma que os planos de negócios. Você escrevia um texto, era um livreto em que se descrevia as suas principais atividades, as formas de receita e era algo tão místico que o pessoal confundia mesmo, e o modelo de negócios não era muito compreendido e ainda nem existia esses três pilares muito bem definidos.

Em 2004, o Alexander Osterwalder, estava fazendo um mestrado em negócios e a sua tese foi um trabalho justamente sobre modelos de negócios. O resultado dessa tese de mestrado foi, justamente, o Canvas do modelo de negócios. 

Junto com 450 empreendedores ao redor do mundo, que ele acabou desenvolvendo uma comunidade para discutir o tema da modelagem de negócios, com a ajuda do seu professor e mentor, Yves Pigneur, acabou saindo o livro Business Model Generation, que descrevia a ferramenta Business Model Canvas que é uma tela com nove blocos padrões.

O Alexander Osterwalder chegou a uma conclusão que todo modelo de negócios voltado para algum tipo de inovação, sendo criado a partir de algum tipo de diferencial, com uma proposta de valor bem clara para um segmento de clientes, ele tem nove blocos obrigatórios. 

E juntando técnicas de design thinking, ele criou essa tela visual, onde você consegue descrever visualmente, através de post-its, mas pode ser desenhado, pode ser escrito, você escreve o seu modelo de negócios em uma tela. 

E por isso esse vídeo não foi sobre o Canvas modelo de negócios, mas sobre modelagem de negócios. Se você quer aprender como transportar o seu modelo de negócios através do Canvas, preparei algo muito especial para você que chegou até o final desse artigo.

Realização Empreendedora - Curso Gratuito: Business Model Canvas - Modelagem de Negócios Inovadores

Para você que quer aprender na prática como modelar o seu negócio (futuro ou já existente), eu preparei um curso online gratuito: Business Model Canvas – Modelagem de Negócios Inovadores.

Você terá acesso a videoaulas com materiais complementares para você modelar seu negócio com um passo a passo claro, com exemplos e, principalmente, como tirá-lo do papel e aplicá-lo no mundo real.

Ao se inscrever, receberá acesso a uma área de membros exclusiva contendo todos esses materiais. Portanto, continuamos esse tema lá dentro. Se inscreva aqui, é de graça!