Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










O artigo de hoje é a 3ª parte da Série Especial Os 10 Comportamentos Empreendedores aqui do Realização Empreendedora, onde detalharemos um dos mais polêmicos comportamentos: a iniciativa empreendedora!

TRANSFORMANDO LAGARTAS EM BORBOLETAS
Realizacao Empreendedora Voando

Sem dúvidas, o comportamento mais aclamado por ser o responsável em transformar “trabalhadores” em “empreendedores” é a iniciativa. É provavelmente o maior propulsor à realização empreendedora, pois sem ela não haveria movimento, apenas inércia.

Empreender, como sabemos, não é uma ideia, plano, intenção ou sentimento. É uma ação!

Quando uma ideia ainda está apenas na cabeça e tudo parece improvável, o empreendedor é alertado por todos: “Isso não vai dar certo”! Mesmo assim, ele dá o primeiro passo. Entretanto, a iniciativa por si só não faz um empreendedor ter sucesso.

A iniciativa empreendedora se dá pela pessoa não ficar esperando que os outros (governo, empregador, pais, amigos, clima, horóscopo, etc.) venham resolver seus problemas. Ela assume a responsabilidade de solucioná-los e toma uma ação consciente.

Em outras palavras, um empreendedor é aquele que, tendo identificado um problema qualquer, age: arregaça as mangas e parte para a oferecer uma solução!

Atrelada à curiosidade, a iniciativa empreendedora tem o poder de criar a famosa “busca de oportunidades“, aclamada característica de ouro de todo empreendedor.

Um bom empreendedor está sempre atento (curioso) a tudo que acontece ao seu redor – inclusive fora do âmbito profissional – e sabe que oportunidades não surgem em hora ou local certo. É vital estar afiado com sua coragem, organização e autoconfiança (comportamentos que analisaremos nos próximos artigos), para que não passem despercebidas.

“Cavalo selado só passa uma vez”
– Dito popular

Ter uma iniciativa empreendedora diante uma oportunidade incomum, sem esperar por ‘momentos perfeitos’, gera outra característica implacável para a realização e o sucesso: a proatividade!

ONDE FOCAR SUA INICIATIVA
Talentos e Paixões Aristóteles

“Onde meus talentos e paixões encontram as necessidades do mundo, lá está meu caminho, meu lugar.”
– Aristóteles

O ambiente em que vivemos é tão diverso e desafiador, com notícias ruins e pequenos atos de “levar vantagem sobre os outros” prevalecendo sobre a difusão das coisas boas, que eu realmente acredito que o sentido da vida é conseguir sair desta para uma melhor tendo conseguido nos tornar pessoas melhores e, neste meio tempo e na medida do possível, ajudar o mundo a ser um lugar melhor também.

Digo isso porque esta frase do Aristóteles me acompanha já há algum tempo, e tem ajudado a me tornar mais e mais consciente sobre quem sou, o que quero e onde posso dar uma forcinha para o mundo lá fora.

Um empreendedor que possui total iniciativa, mas nem um pingo de direção do que quer alcançar com toda sua energia de transformação, não o leva a lugar algum. Ele pode chegar a realizar algumas coisas, mas que nunca o completará pessoalmente por não ter uma referência do que essa realização significa em sua vida e na dos outros.

Isso é uma forma bem abrangente de dizer o seguinte: saiba onde focar sua iniciativa! Não atire para todos os lados.

Os maiores e mais bem sucedidos negócios, em termos financeiros e de impacto social, nascem da convergência entre o que os empreendedores realmente gostam de fazer e sua expertises (os talentos e paixões), com a identificação de uma oportunidade não aproveitada ou uma demanda inexplorada (as necessidades do mundo).

Não existirá sucesso se alguém resolver aplicar suas habilidades onde não haja uma necessidade real, da mesma forma que não haverá realização em solucionar um problema sem possuir desejo e competências para fazê-lo.

Tenha em mente que, para que um empreendimento tenha sucesso, não é necessário o empreendedor ser um expert na parte técnica do negócio. Por exemplo, um dono de restaurante não precisa ser um exímio cozinheiro. O que determina sua prosperidade é seu fascínio pelo tema com a união de conhecimentos e técnicas empreendedoras necessárias para planejar, realizar, crescer e gerenciar um negócio.

Quando unimos paixão e talento, somos impulsionados pelo primeiro e motivados pelo segundo. O resultado não poderia ser outro além de iniciativa e, consequentemente, sucesso!

A maioria das pessoas tomam decisões de compras baseadas em fatores inconscientes. Ao propor soluções para as oportunidades que enxergar, esses fatores devem ser levados em consideração e geralmente têm um objetivo: Remover alguma dor e proporcionar algum prazer.

Todos temos algumas necessidades e os nossos desejos estão sempre orientados à buscar de:

MAIS

MENOS

Segurança
Aceitação
Autoestima
Dinheiro
Felicidade
etc.

Medo
Incertezas
Estresse
Dívidas
Conflitos
etc.

Falar é mais fácil que fazer: Se sua iniciativa empreendedora estiver baseada em seus interesses e capacidades pessoais com algumas carências e demandas sociais, ao mesmo tempo que proporcione mais benefícios por menos sofrimentos, suas chances de sucesso são gigantescas!

PRATICANDO SEU COMPORTAMENTO PROATIVO
Realização Empreendedora Baby Steps

Um empreendedor sem iniciativa deixa passar oportunidades e acaba sempre agindo depois que os problemas já aconteceram ou por alguma obrigação (emergência). Nem poderíamos chamá-lo de empreendedor, certo?

Ele abandona muitas ideias que poderiam ser excelentes, simplesmente por achá-las difíceis de executar, não querer buscar parcerias ou passar a eternidade planejando, tentando calcular detalhes que nenhuma fórmula mágica consegueria prever, a não ser iniciando algo.

Negócios geridos por pessoas sem iniciativa parecem paradas no tempo, onde tudo é lento e chato.

Se você está neste pondo, meu amigo, a coisa é séria! Mas continue lendo, pois há luz no fim do túnel!

O excesso de iniciativa, que muitos se empenham em adquirir, chega a ser conhecido pelo comportamento “apenas faça”!

A falta de uma visão clara de futuro, nem um mínimo tempo aplicado em planejamento e análise é um dos principais responsáveis pelas altas taxas de mortalidade empresarial, não só no Brasil.

O empreendedor tenta imprimir à sua empresa um ritmo de crescimento muito mais rápido do que suas possibilidades financeiras, estruturais e mercadológicas permitem.

No cenário ideal, o empreendedor sabe dosar sua iniciativa e normalmente confronta suas últimas ideias com o seu momento atual pessoal e profissional.

No caso de novas ideias para a empresa em andamento, ele revê o que está no planejamento estratégico, checando se encaixam na missão e visão, para então seguir e identificar os problemas e desafios que possam surgir no novo caminho escolhido.

Desenvolver qualquer comportamento exige boas doses de autoconhecimento sobre seus traços de personalidade, que são de extrema importância para avaliar quais pontos precisam ser melhorados e quais pontos fortes deverão ser enfatizados para te diferenciar positivamente, tanto na vida pessoal como na profissional.

Para adquirir a habilidade completa em proatividade, é necessário que o empreendedor se aperfeiçoe em praticar conjuntamente as 3 competências a seguir:

  1. Agir antes de ser solicitado ou forçado por situações externas
  2. Expandir o negócio a novos produtos, serviços ou mercados
  3. Aproveitar oportunidades incomuns para criar ou expandir negócios

Vamos do começo:

Iniciativa empreendedora = Busca de oportunidades + Proatividade

Quando estiver na rua, preste atenção no comportamento das pessoas e a tudo que ouve: dúvidas, reclamações e objeções. Quando estiver em uma loja, repare quais produtos estão oferecendo e como são oferecidos. Em casa ou em locais pessoais, repare nos comerciais, propagandas e embalagens à sua volta tente perceber o quais ‘dores’ estão removendo, quais ‘prazeres’ estão proporcionando e como é a mensagem que estão transmitindo.

Você estará praticando sua curiosidade e a iniciativa de buscar problemas comuns e não solucionados (leia-se: oportunidades). Deficiências do mercado são, acima de tudo, oportunidades, chances de sanar necessidades não atendidas. Portanto, aprenda a gostar das crises, adore problemas e seja apaixonado por dificuldades.

O próximo passo é praticar a proatividade! Usar a persuasão e os comportamentos que iremos analisar futuramente é fundamental para que tudo flua naturalmente.

Em todos os casos, existem inúmeras formas de gerar novas soluções e produtos que realmente atendam o que o mercado precisa. Seja criativo e busque uma solução simples! Criar um produto ou serviço simples é mais barato e leva menos tempo para testá-lo. Também é menos doloroso para os que se escondem atrás de planilhas e planos de negócios.

As primeiras respostas ao seu produto inicial podem conter críticas, e seu objetivo deve ser exatamente buscar esses feedbacks. É a única forma de saber qual caminho está seguindo:

  • Direção certa = há clientes e eles criticam alguma falha ou a falta de algum detalhe
  • Direção errada = não há clientes

Começando pequeno você aprende mais rápido e, consequentemente, evolui mais rápido. Bem diferente de gastar muito tempo e dinheiro em planos de negócios e produtos iniciais “perfeitos” que, depois de lançados, se revelam verdadeiros fracassos e gastam muito mais tempo e dinheiro tentando consertá-los!

Aprenda a andar tranquilamente pelo seu mercado antes de querer correr por ele. Iniciativa empreendedora se adquire com “passos de bebê” frequentes, e todos nós (mortais) começamos com o primeiro, bem pequeno.

EXTRA

Uma iniciativa bem pequena, fácil e rápida é me responder: Qual comportamento extra, além dos 10 que estamos analisando, você acredita ser fundamental para qualquer empreendedor de sucesso? Você poderá eleger mais 1 comportamento, que acredita ser a “cereja do bolo” de todos os empreendedores de sucesso e que ficou fora da lista! Para votar, escreva nos comentários abaixo!

Até o próximo comportamento: A coragem!