Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










Há alguns passos simples… muito simples… para você realizar o sonho de ser dono do próprio negócio de impacto.

Toda essa galera da Internet, agência de governo, aceleradoras de startups, escolas de negócios, e etc.; criam cursos totalmente desencontrados, com conteúdos sem uma sequência passo a passo lógica, sem dar a mínima importância com a hora da prática e sem qualquer preocupação quando a pessoa tentar tirar a ideia do papel.

Será que existe mesmo uma sequência ideal pra você criar um negócio de impacto? Startups digitais ou offlines?

É o que veremos nesta mensagem que, aliás, é acompanhada por um brinde! Não deixe de chegar até o fim 🙂

Negócios de Impacto… Simples Startups?!

E a resposta para questão levantada antes é “absolutamente sim… existe uma sequência lógica e ótima para você criar seus negócios de impacto”. Mas, antes de tudo, vou explicar o que são negócios de impacto, conceito que você certamente tem ouvido muito atualmente.

Muito resumidamente, negócios de impacto são startups. Você viu meu vídeo anterior em que explico o que são startups. Impacto geralmente é palavra voltada para empresas que provocam alguma espécie de boa surpresa no mercado, na sociedade. Não são exatamente apenas empresas que criam aplicativos, softers, que sejam offlines ou apenas inovadoras.

São empresas que acabam se fixando na atenção do mercado em que atuam.

Todas as empresas existem para solucionar alguma necessidade do mercado. Porém, quando são realmente inovadoras e focadas em um problema amplo dos indivíduos, têm maior poder de impactar a sociedade.

E aí surge outra questão tão importante quanta a anterior: “o que é inovação?”

Em empreendedorismo, inovação é oferecer algo criativo e diferente do que já existe. Ela nasce quando você realmente entende seu público, seus clientes potenciais. Mesmo que você ainda não tenha criado uma empresa e, claro, não tenha clientes, você realmente entende o que eles sentem antes de ter seu próprio negócio de impacto.

Qual é o problema de seus clientes? Às vezes até já existe um produto concorrente, mas este não soluciona as dores deles, os problemas deles. Então, você vai lá e cria alguma coisa que realmente solucione. Isso é inovação.

Essa alteração que você produz no mercado com seu produto novo é uma inovação. Esse produto ou serviço precisa estar caracterizado por aqueles três fatores que mencionei no vídeo anterior, “O que são startups”.

Eu resumo ainda mais pra você: “negócios de impacto são startups que nascem quando você realmente entende seu cliente e cria alguma coisa a partir do problema dele, do seu público alvo”.

O Que Ninguém Diz Por Aí… Eu Digo Aqui

O primeiro dos setes passos para criar seu negócio é:

1. Preparar o empreendedor

É isso.

Não se constranja, mas você precisa se analisar, se avaliar como é como pessoa, precisa de autoconhecimento, estar bem antenado sobre suas atitudes em relação ao empreendedorismo e criação de um novo negócio, seu comprometimento.

A partir de então, você consegue analisar quais são suas paixões para, enfim, atuar sobre aquele grande pilar que é “trabalhar com o que se ama”. Mas sem a utopia de que é difícil.

Você consegue buscar o caminho de criar uma empresa para imprimir naturalmente suas paixões. E ainda com trabalho, que é melhor da vida. Se você der essas oportunidades a si mesmo, consegue começar bem por aí.

2. Definir o nicho, o problema, a persona

Ou seja, o mercado, a dor do público, o perfil do cliente.

Eu asseguro que é quase automático: a partir daquela sua paixão, você determina o nicho em que vai atuar. Vai precisar ter algumas habilidades, algum conhecimento dentro dessa área. E você vai identificar o problema específico que existe nesse nicho que ataca as pessoas.

Uma vez que o problema, a dor dos clientes estejam identificados, você consegue identificar também o perfil das pessoas que se interessariam pelo seu produto ou serviço. Com isso, é possível já ter a imagem da pessoa que representa todo o seu mercado potencial.

3. Refinar a ideia

Boa parte dos empreendedores já nasce com a ideia na cabeça – se me desculpe o exagero. Por outro lado, muitas pessoas ainda nem sabem o que fazer.

Tendo ou não já uma ideia, são esses os passos que você deve seguir. No caso de já ter uma ideia, volte aos dois passos anteriores para chegar a esse estágio de refinamento. Analise sua ideia para adaptar, moldar exatamente ao que aquele público precisa, para suprimir a dor daquele público específico.

4. Projetar o protótipo

O quarto passo é projetar um protótipo do seu produto ou serviço. Veja: é realmente um protótipo (um MVP, ou Produto Mínimo Viável), uma versão inicial para solucionar a dor daquelas pessoas. Ainda não é produto monstruoso, um produto final.

Técnicas antigas, com planos de negócios e tudo o mais, sugerem para você planejar e descrever exatamente como será a versão final do seu produto ou serviço. Por minhas experiências, garanto que aí está um grande perigo. Mas a gente vai falar sobre isso em outra ocasião.

Uma vez criado o protótipo do seu produto ou seu serviço, você já consegue ter todos os elementos de produção e entrega. A partir de então, fica mais fácil criar um canvas, uma ferramenta inovadora para negócos. Com ela, você vai…

5. Modelar seu Negócio

É nesse estágio que você cria o canvas, pois você já dispõe de informações sobre o segmento de clientes, já entende o problema e sua proposta de valor, sabe quais são os recursos de que precisa.

Neste caso, todos os componentes que vão no canvas já foram vistos e revistos. Não haverá chutômetro, nem todos aqueles post its que nem dá pra saber por onde começar. Aliás, há muitos por aí – nesta selva sem fios que é a internet – que adoram explicar o que é canvas, mas não explicam como tirá-lo do papel.

Pense dessa forma: ferramentas servem para levar você a agir, a fazer uma ideia sair do papel. Não importa aprender a montar ou manusear a ferramenta. Ela tem de ajudar a realizar o que você quer.

6. Validar o Negócio

Você analisa todas as informações da modelagem de negócio e vai validá-lo hipótese por hipótese.

Esta fase é o ápice da criação do seu negócio. Sem testá-lo, você corre o risco de ter grandes prejuízos. Não é uma etapa glamurosa, mas é a mais importante de todas. É justamente para executá-la com perfeição que são necessárias todas as etapas anteriores!

Depois de algumas rodadas de validação, há várias maneiras para analisar se o resultado foi positivo ou negativo. Tendo sido negativo, há também formas para voltar aos passos anteriores, de transformar sua ideia, saber em que estágio tem de voltar.

E se deu tudo certo, aí sim você tem uma empresa para chamar de sua.

7. Estruturar para Crescer

Só agora você vai atrás de um nome, obter CNPJ, criar logotipo e site e fazer a estruturação básica, com todos os sistemas e processos internos. E então pensar em escalabilidade, equipes e um funcionograma – não organograma -, enfim, pensar em todo o crescimento da sua empresa.

.

Eu disse que são 7 passos para realizar seu sonho de ter um negócio de impacto. Mas também disse que há um brinde com a leitura total deste texto.

Passo Extra: veja no seu eBook

Há um passo extra que você deve seguir para que consiga criar um negócio de impacto de forma segura e ganhando dinheiro enquanto executa estes passos.

Este passo extra está no e-book “Os 7 Para Sair do Zero e Criar o Seu Negócio de Impacto”, que você pode baixar agora mesmo, gratuitamente, clicando aqui!

Eu tenho certeza de que vai dar um mapa detalhado para você criar uma empresa que realmente represente quem é você, com suas paixões, suas habilidades, e que vai fazer você deixar uma marca neste mundo!