Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










Você assistiu ao vídeo passado e já sabe o que é uma startup e também uma startup digital. E no caso de não saber nada de programação, nunca ter escrito uma linha de código na vida, já percebeu certo preconceito nesse meio em relação à “fundadores não técnicos” que procuram criar startups digitais.

Já ouvi muitos pregarem que é impossível uma startup ter sucesso se o fundador não for bom em programação ou pelo menos conhecer alguns códigos.

Bem… na mensagem de hoje, eu vou provar que nada disso é verdade e ainda mostrar como você pode, sim, constituir uma startup digital sem saber uma só linha de programação.

Impossível? Vamos lá.

Começando por “Não Entender Nada

Vou logo ao assunto. Imagine que você queira abrir um restaurante, mas não entende nada sobre cozinha. Eu chegaria ao extremo de dizer que não sabe fritar um ovo, mas quer abrir um restaurante. Sim… você pode, você tem esse direito, eu diria até que tem obrigação consigo mesmo.

Em qualquer área do mundo do empreendedorismo, você consegue, sim, abrir um negócio mesmo que não tenha a mínima competência técnica para isso. Sei que estou parecendo louco, mas se acalme.

É um pouco mais difícil, sim, mas é muito possível.

No caso de um restaurante, você teria que ter um parceiro como cozinheiro e para a parte operacional da cozinha. Lembre-se de que, afinal, você não sabe fritar nem ovo. É ele que vai comprar os ingredientes, preparar tudo aquilo que você desconhece, cuidar do estoque e outros itens.

Quanto a você, não estaria fisicamente no negócio, mas trabalharia o negócio em si, nas questões estratégicas, como área comercial, de marketing, de finanças, processo de expansão, isto é, a modelagem do negócio propriamente dita.

Startup Digital É Quase Isso, Mas com um Gargalo

Pois eu afirmo que criar uma startup digital não foge muito do exemplo do restaurante. Apresenta apenas um porém muito crítico.

Hoje em dia, startup digital parece ser o desejo de todos; está na moda criar um aplicativo, um softer. A maioria dos empreendedores se preocupa apenas com isso: criar o aplicativo, um softer, uma plataforma online pronta.

Percebo que a questão da solução em si e o problema do mercado a ser solucionado são deixados de lado. Sempre digo que é preciso entender que o software, que qualquer tipo de linhas e códigos, tudo isso só facilita a distribuição para muito mais pessoas, apenas provê escalabilidade do negócio.

Mas deixe eu desdourar a pílula um pouco: se a solução é uma porcaria, o aplicativo ou o softer ou a plataforma só vão ajudar a distribuir porcaria. E, num curto prazo, a empresa vai estar fechada ou nem vai sair do papel.

Posso até afirmar que, às vezes, é bom que você não saiba programar nada porque, assim, vai poder se preocupar com coisas que realmente importam no momento da criação de sua startup.

Veja isso:

Mais Importante que o Aplicativo em si

A primeira preocupação do startuper é validar o problema que quer solucionar. E validar o problema não é a parte mais glamorosa de todo o processo empreendedor, mas é a que garante segurança e até mesmo sucesso em curto e médio prazo.

Você pode fazer alguns testes offline para validar seu aplicativo, o escopo dele. Muito da sua solução poderia ser testado com serviço manual. Pegue o telefone, mande e-mails, questione em sua rede social só para testar se as pessoas estão interessadas na solução.

O passo seguinte é, sendo positiva a validação, partir as primeiras versões de um MVP (Minimum Viable Product ou Produto Mínimo Viável) que, aliás, é tema para o qual vou fazer outro vídeo. Pode ser desde uso de Power Point, formulários simples gratuitos da Internet. Isto é, já existem umas ferramentas, umas plataformas que trabalham exatamente nisso, para você criar alguns mock-ups, uns wireframes, a fim de testar sua ideia de negócio.

Bem, tudo isso você consegue fazer sozinho ou com ajuda de designer; um freelancer ou até um bom parceiro, não necessariamente técnico no assunto. Depois disso, aí sim você poderia até contratar uma empresa para produzir a primeira versão do seu softer, do seu aplicativo.

E então a gente chega à ideia central desta mensagem: você não precisa saber programar ou ter um sócio ou funcionário que saibam programar.

E a Coisa Vai Crescendo

Essa primeira versão ainda vai ser bem insipiente, pois representa os primeiros passos essenciais para solucionar um problema de mercado e entregar a solução para cliente.

Quando a ideia for crescendo e você for conseguindo mais dados, mais informações e até recursos em dinheiro, em investimento, então você pode começar a montar as equipes técnicas internamente.

Obrigatoriamente, vai precisar de uma equipe técnica, de pessoas que saibam programar porque você não vai simplesmente criar um software do nada, gerar um aplicativo e ele estará pronto para o resto da vida sem precisar mexer em mais nada.

É desenvolvimento de muito longo prazo. Então, você vai precisar de um profissional técnico, uma boa equipe. E você deve focar na parte estratégica do negócio, em validar a proposta e em formar equipes quando o momento for o certo, quando sua ideia, sua proposta de valor estiver muito bem validada.

Escola de Startups

Como você viu, é possível, sim, criar uma startup digital mesmo que não se saiba nada de programação.

E se esse for o seu caso, se estiver querendo abrir uma startup digital, conheça o curso online Academia de Novos Negócios.

Ele foi criado exatamente para pessoas como você, que não querem perder tempo com programação: querem partir para a ação, querem atuar no que realmente é necessário para validar uma ideia e até lucrar enquanto estejam testando o negócio.

E, na Academia, você vai fazer essa validação de forma muito sequencial: passo 1, passo 2, passo 3 etc., acompanhado por uma comunidade de empreendedores que estão, como você, gerando empresas de impacto, startups online e offline.

Espero conhecê-lo lá dentro da Academia!