Insira seu email abaixo e receba conteúdos, ferramentas e dicas exclusivas sobre empreendedorismo e negócios!










Obter um diploma é algo que deve ser muito comemorado, pois faz parte de uma das suas grandes conquistas na vida. Porém, se está buscando por algumas habilidades especiais para ter sucesso em empreendedorismo, a faculdade não é o melhor lugar.

Isso não quer dizer que você não deve frequentar a escola. Pode até ser um ótimo lugar para começar um negócio. Porém, a educação formal não é conhecida por ensinar técnicas essenciais para empreender.

Descubra aqui as 10 lições de empreendedorismo que eu nunca aprendi na faculdade:

1.Lidar com o fracasso

Uma parte inevitável da experiência de iniciar um negócio é provar o fracasso. Quase todos que se aventuram no empreendedorismo, falham em um ponto ou outro. É um processo natural de aprendizado e que irá ajudá-lo a tornar seu próximo empreendimento um sucesso.

Mas você não aprenderá sobre isso na faculdade. Afinal, as faculdades querem que você tenha ‘sucesso’. Eles querem que você se forme e se torne um ex-aluno estimado.

As faculdades não o preparam para falhar em uma aula ou não conseguir um emprego depois de se formar. Eles não o preparam para o fracasso. Algo bom para nossa zona de conforto, péssimo para nossas habilidades de vida. Isso é algo que você precisará descobrir e lidar ao ingressar no mundo das startups.

A única forma de conseguir aprender e provando! Não é a maneira mais simples, mas pode ter certeza que é a eficaz, porque você aprende muito, e são lições que não são aprendidas nas salas de aulas de uma faculdade.

2. Captação financeira

Relativamente falando, arrecadar dinheiro para a faculdade é muito fácil comparado ao financiamento de um novo negócio. Enquanto algumas pessoas contam com o apoio dos pais, outras buscam empréstimos e doações.

Mas arrecadar dinheiro para uma startup é infinitamente mais complexo, devido as papeladas e formalizações. Os investidores e os bancos esperam que você apresente um plano de negócios detalhado que descreva como um produto funciona e como isso acabará por torná-lo um pouco mais burocrático.

Talvez você precise negociar com investidores e bancos se eles não entenderem sua visão (outra habilidade que você talvez não tenha adquirido na faculdade). Isso é uma lição que apenas o empreendedorismo na prática pode te ensinar!

Talvez você precise fazer parcerias, elaborar estratégias que não envolva “me dá dinheiro e eu te devolvo dinheiro”. Conseguir sócios com habilidades, competências e experiências diferentes (logo, complementares), às nossas não é algo trivial. E tudo isso não se aprende na faculdade.

3. Orçamento

Na faculdade, você provavelmente não lidava com somas consideráveis ​​de dinheiro. Você vivia de empréstimos estudantis, emprego de meio período ou cartões de crédito sem anuidade. Mas não vivia com folha de pagamento, despesas comerciais ou aluguel de escritório.

É provável que você realmente nunca orçou ou planificou detalhadamente suas finanças na época de escola. Apenas tente fazer isso com uma startup.

Ser capaz de entender uma demonstração de resultados ou um fluxo de caixa é vital. Você deverá poder orçar despesas para os próximos seis meses, um ano ou mais – habilidades que talvez você não adquiriu em uma sala de aula da faculdade, a não ser que tenha cursado finanças ou administração (e, ainda assim, na prática… a teoria é outra).

4. Pivote, se necessário

Os estudantes universitários geralmente mudam de curso e se transferem para outra escola. Isso não é algo amplamente divulgado.

No Brasil, cerca de 56% dos estudantes que ingressaram em uma universidade acabaram desistindo no meio do caminho ou trocaram de curso no decorrer da graduação (fonte: Inep, 2010).

E pivotar, um termo comum das startups, é como voltar atrás para corrigir seu rumo, sem perder a missão inicial. Solucionar o mesmo problema, mas com outro produto. Oferecer o mesmo produto, mas para outro público.

Essse recomeços estratégicos, não são incentivados pelas faculdades.

5. Pense fora da caixa

Muitas vezes, na escola, há uma resposta certa e errada. Mas no mundo das startups, a ambiguidade domina.

Se você não está preparado para estar errado, nunca encontrará nada original. Ter uma ideia diferenciada, testar, encontrar falhas, ajustar, encontrar novas formas que não havia pensado no início… é a eterna jornada dos melhores empreendedores.

Para superar a falta de uma educação empreendedora e iniciar um negócio da forma correta, com segurança, com pouco dinheiro e tempo disponíveis, faça parte da próxima turma da Academia de Novos Negócios: um programa online de criação e aceleração de negócios com 8 dimensões para te levar da estaca zero, à sua empresa de sucesso.

6. Crie a rede certa

Conectar-se com pessoas na faculdade não é o mesmo que se envolver com pessoas no mundo real. Um amigo ou colega de quarto que possa ter sido tão crucial para você na faculdade não importa tanto quanto você tenta iniciar uma startup.

Não importa o quão tentador seja contratar amigos, eles podem não ser adequados para a sua startup. No entanto, se você se formou em negócios, com que frequência se depara com um programador incrível? Provavelmente nunca.

Ao iniciar um negócio, esteja pronto e disposto a se aproximar e se envolver com as pessoas certas, em vez de apenas confiar nas pessoas que estão lá. Com a rede certa de pessoas, as possibilidades são infinitas.

Você até pode aprender alguns conceitos em sala de aula, mas a verdadeira conexão com quem realmente pode fazer a diferença, você só aprende com lições práticas de empreendedorismo.

7. Torne-se um vendedor

Se você deseja que seu negócio seja bem-sucedido, você deve vender. Você precisará comercializar o produto da empresa para funcionários, investidores e clientes. Mas você já fez um curso de “vendas básicas” na faculdade? Dificilmente.

Ser um vendedor de primeira linha não é algo que possa ser ensinado na sala de aula. É uma habilidade que deve ser aprimorada ao longo do tempo através da experiência e que implica a capacidade de ler as pessoas o suficiente para que elas se conectem à missão da sua empresa.

8. Cuide da sua saúde

Embora o refeitório da sua faculdade pudesse estar repleto de alimentos nutritivos, incluído academias e seminários de bem-estar, sua saúde pode não ter sido um ponto focal na época. Em vez disso, curtir a noite toda e depois ir direto para a aula era bom ocasionalmente.

Mas em uma startup, você e seus funcionários dedicam muitas horas e muito trabalho. Você simplesmente não pode ficar doente porque está com alergia, por exemplo.

Como todos os dias na sua startup é importante, estudos descobriram que os funcionários saudáveis, ​​em geral, são mais produtivos e chegam doentes com menos frequência.

9. Torne-se um chefe

Algumas pessoas são líderes naturais. Outros se tornam grandes líderes na faculdade, como o capitão do time. E ainda outros fazem aulas de negócios que abrangem todo tipo de teorias sobre como se tornar um empreendedor melhor.

Mas ser chefe – na verdade, gerenciar funcionários – é algo totalmente diferente.

Embora grandes chefes também possam ser grandes líderes, nem todos os líderes são ótimos chefes. Quando o capitão do time de futebol deixa a faculdade, será que ele poderia olhar diretamente para o pai de cinco filhos e, se realmente necessário (e pelo bem de outras famílias, dependendo da empresa), demiti-lo?

Ser um ótimo chefe significa que você deve ser capaz de orientar, inspirar e até mesmo tomar decisões difíceis. Não há aula para tudo isso. Além das ferramentas, é apenas mais uma habilidade que você precisará aprender no mundo real. Não existem provas ou preparatórios para que seja possível aprender, a vida será o melhor professor.

10. Gerencie seu tempo

Na faculdade, por causa da abundância de tempo livre, você pode aproveitar o tempo de forma despreocupada e também concentrar boa parte com qualquer lazer.

Isso jamais acontecerá em uma startup, essa é uma das lições mais duras do empreendedorismo, pois sem o gerenciamento correto do seu tempo, seu negócio tem poucas chances de sucesso.

Não há tempo livre enquanto seu negócio não estiver rodando por conta própria. Você trabalhará essencialmente 24 horas por dia, 7 dias por semana (exagerando, mas não tanto), não importa o quão cansado você esteja.

Portanto, enquanto seus amigos desfrutam do happy hour, não fique chateado com a conclusão de um ciclo de validação, fazendo pesquisas ou realizando uma reunião até tarde da noite com a equipe.

Que lições de empreendedorismo você não aprendeu na faculdade?

Para superar as faltas de aprendizados empreendedores e iniciar um negócio da forma correta, com segurança, com pouco dinheiro e tempo disponíveis, faça parte da próxima turma da Academia de Novos Negócios: um programa online de criação e aceleração de negócios com 8 dimensões para te levar da estaca zero, à sua empresa de sucesso.